Software ou Appliance?


E-mail this post



Remember me (?)



All personal information that you provide here will be governed by the Privacy Policy of Blogger.com. More...



Pelo dicionário Michaelis, a definição da palavra inglesa appliance, é: dispositivo, utensílio, mecanismo, apetrecho - e home appliances são aparelhos elétricos ou a gás usados em residências. Nos países de língua inglesa, são exemplos de appliances nas residências das pessoas: batedeiras, liqüidificadores, torradeiras e outros dispositivos com finalidade bem definida. Aqui também usamos todos eles, mas não chamamos de appliances.

Próteses (pernas mecânicas, óculos, aparelhos de audição, etc.) também são conhecidas em inglês como appliances. Na informática, appliance é um hardware (computador) com características de arquitetura específicas, onde é instalado um sistema operacional (Microsoft, Unix, Linux, etc) com recursos e configuração específica, que roda um software (roteador, firewall, IDS, etc) com finalidade muito bem definida.

Na computação, o uso de appliances vem crescendo significativamente, principalmente na área de segurança. E isso se deve a um dos principais paradigmas da segurança: disponibilizar somente os recursos que se precisa usar.

Por isso, computadores são construídos com arquitetura específica para a finalidade que se deseja deles. Sistemas operacionais, têm somente os requisitos necessários para que o software de segurança se sustente e possa usar os recursos de hardware para atender a finalidade para a qual foi desenvolvido. Isso traz em primeiro lugar, um significativo aumento da segurança interna de todo esse sistema: hardware + sistema operacional + software.

Esse aumento de segurança se deve fundamentalmente à ausência de recursos não necessários ao uso do software, que não estão presentes no appliance. Se deve também a facilidade de manutenção do conjunto, já que atualizações e patches de correção são praticamente desnecessários.

Por último mas não menos importante, existe o fator custo, que cai significativamente quando compara-se o uso de appliances com softwares instalados em computadores pelo usuário final. Não só no custo inicial, mas principalmente com TCO sempre mais baixo.

Por todas estas razões, não seria difícil imaginar que uma tecnologia que vem crescendo fortemente nos últimos anos, e com previsão de crescimento contínuo para os próximos anos, como o Security Event Management, não demoraria a oferecer ao mercado seu primeiro appliance - o Sentinel AP, baseado no Sentinel 5.

Security Event Management (SEM) ou gerenciamento de eventos de segurança ou até mesmo, de forma simplória relacionada a consolidação de logs, é uma tendência tão forte para os próximos dez anos, como foi o firewall no início da década passada.

A e-Security Inc. anunciou que será a primeira fornecedora dessa tecnologia a oferecer um appliance ao mercado. Dessa maneira, a implementação da solução, hoje já usada para gerenciar mais de mil ativos de rede da Mastercard International por exemplo, se tornará bem mais simples. Proporcionando dessa forma, que as empresas possam dedicar mais esforço na definição dos processos que comporão junto com o SEM, o conjunto de ações de SOC - Security Operation Center.

Veja o press release da e-Security Inc sobre seu appliance aqui.


1 Responses to “Software ou Appliance?”

  1. Anonymous Augusto 

    Nelson,

    H? uma empresa do mesmo ramo, a Network Intelligence, fornece seu produto em Appliance h? mais de 2 anos.

    []s

Leave a Reply

      Convert to boldConvert to italicConvert to link

 


About me

  • I'm Nelson Correa
  • From Dublin, Ireland

Previous posts

Archives

Links


ATOM 0.3